Justiça de SP usa terapia em grupo para ajudar a resolver conflitos

Prática chamada Constelação Familiar ajuda envolvidos a entender qual a responsabilidade de cada um

Postado em: em Justiça

A Justiça de São Paulo começou a usar uma técnica de terapia em grupo que ajuda a resolver conflitos familiares.

Adotada há dez anos no Judiário brasileiro, a chamada Constelação Familiar passou a ser testada no Fórum de Santo Amaro há três meses.

Já participaram 148 pessoas envolvidas em processos nas Varas de Família, em disputas de guarda de filho, partilha de bens e divórcio.

A juíza responsável, Claudia Marina Spagnolo, está otimista com esse início. De cada três pessoas, duas (66,33%) aceitam participar das sessões. Assim, conseguem entender um pouco qual a responsabilidade que têm no processo judicial. "A pessoa tendo um pouco mais de consciência sobre o seu problema, a sua questão, ela pode entender o outro com mais facilidade, ter uma empatia. Isso pode aumentar o diálogo entre as pessoas, e com isso ela pode construir uma solução", disse a magistrada.

O que é a Constelação Familiar

É um método psicoterapêutico recente, com abordagem sistêmica não empirista, ou subjetiva, desenvolvido pelo psicoterapeuta alemão Bert Hellinger.

Trata-se de um método de ajuda que coloca pessoas que estão presentes no grupo para representar membros da família ou grupo social do cliente. Hellinger descobriu três leis naturais que atuam nos relacionamentos humanos e tais leis são tão verificáveis como a lei da gravidade, se nos dermos ao trabalho de observar.

São também chamadas de ordens do amor que são: hierarquia (estabelecida pela ordem de chegada), pertencimento (estabelecido pelo vínculo), equilíbrio (estabelecido pelo dar e tomar/receber). Quando tais leis são violadas numa família, surgem compensações que atuam nos membros da mesma, como: depressões, doenças, dificuldades nos relacionamentos, dificuldades financeiras, etc. Graças à representação, o cliente pode perceber onde o seu amor está preso e o que ele pode fazer para que tais leis possam ser novamente respeitadas e o amor possa voltar a fluir. Então ele pode, talvez, enxergar o próximo passo que o conduza de uma maneira mais leve na vida, solucionando a questão que o incomoda.


Artigos Relacionados