Internauta vira réu por publicar que negros são desprovidos de inteligência

Internauta Ribeirão escreveu que brancos e negros têm habilidades físicas e mentais diferentes

Postado em: em Justiça

​Um morador de Ribeirão Preto (cidade a 90 km de Franca) se tornou réu na Justiça Federal, acusado de fazer publicações racistas na internet. Segundo o Ministério Público Federal (MPF), o homem comentou em uma página no Facebook que negros são “desprovidos de inteligência”. O processo está sob segredo de Justiça.

A procuradora da República Daniela Gozzo de Oliveira contou que os comentários foram postados em setembro do ano passado e acabaram denunciados por um dos participantes da página. A pedido do MPF, a Polícia Federal (PF) instaurou um inquérito para investigar o caso.

Em duas mensagens publicadas, o internauta diz que existe diferença racial entre humanos, “resultado de milhares de anos de evolução”, e que brancos e negros possuem habilidades físicas e mentais diversas. O MPF não divulgou a reprodução das publicações.

“Por exemplo negros no geral são desprovidos de inteligência, mas tendem a ser mais fortes, os brancos por outro lado mais fracos porém mais inteligentes e isso é o resultado da adaptação genética, impossível não perceber q existe sim diferença entre os povos, mas insistem em dizer q não”, diz trecho de um dos comentários.

Em publicações no Facebook, morador de Ribeirão Preto diz que negros são 'desprovidos de inteligência' — Foto: Reprodução“Foi uma opinião claramente menosprezando um grupo racial. Quando você chega e fala, sem evidência científica, que um determinado grupo racial é menos inteligente, não tem como se dizer que isso não incita preconceito”, afirmou a procuradora.

Daniela disse que, em depoimento à PF, o homem admitiu ser o autor das postagens, mas negou o preconceito. A denúncia foi oferecida pelo MPF em agosto e acatada pela Justiça Federal na última semana.

“Ele, basicamente, alegou que a intenção não era incitar preconceito de raça. Ele disse que, ao mesmo tempo em que os negros são menos inteligentes, eles são mais fortes. A pessoa vê isso com certa naturalidade. Está na hora de acabar com essa naturalidade”, disse.

Ainda segundo a procuradora da República, caso o internauta seja condenado, pode receber pena de dois a cinco anos de prisão, além do pagamento de multa.

“Tenho averiguado uma tendência de as pessoas acharem que podem dizer o que querem nos meios de comunicação social e sem prestar atenção para o fato de que existem leis a serem seguidas naquele ambiente. Está na hora de a gente parar de tolerar esse tipo de manifestação racista, de incitar preconceito”, concluiu.

A procuradora da República Daniela Gozzo de Oliveira ofereceu denúncia por racismo em Ribeirão Preto — Foto: Carlos Trinca/EPTV


(* Publicado no G1 Ribeirão/Franca)


Artigos Relacionados