​Franca abre contratações para rede supermercados e varejão; acompanhe!

Lojas Amarelinha, Savegnago, Tiãozinho e Irmãos Patrocínio devem empregar mais de 500 trabalhadores

Postado em: em Comércio

Há informações de que nessa época o crescimento nas vendas representou algo em torno de 30 a 35% para este ou aquele varejista

O setor de varejo, em Franca, tem alcançado pontos extremamente positivos em 2020.

Mesmo com a pandemia do Coronavírus os supermercados e varejões não param de contratar trabalhadores.

Há informações de que nessa época o crescimento nas vendas representou algo em torno de 30 a 35% para este ou aquele varejista.

E, agora, com a chegada do final de ano, com as inaugurações e ampliações, os supermercados anunciam ampliação do quadro de colaboradores.

O grupo Amarelinha (instalado na avenida Brasil, antiga fábrica Makerli), anunciou a contratação de 200 trabalhadores; o Savegnago (200 trabalhadores); o Tiãozinho Supermercados (35 trabalhadores); Irmãos Patrocínio (não revelou, mas gira em torno de 25 colaboradores).

Outros estabelecimentos como a rede Big, Lopes, Sumpercado BIG Compras entre outros têm contratações constantes.

CONTRATAÇÕES

Em agosto, o varejo alimentar paulista criou 2215 vagas – número 78,7% superior ao mesmo mês em 2019 (1239).

A Associação Paulista de Supermercados (APAS) destaca que a geração líquida de emprego formal até agosto não era tão boa desde 2014.

Com o resultado mensal, o saldo atual do setor é de 1069 novas vagas (já descontando as demissões e vagas fechadas).

Entre os canais de compra que mais contrataram em agosto está o atacado, com 843.

Em segundo, os minimercados (654), seguido por supermercados (555) e, por último, os hortifrutis, com 163 vagas.

A APAS destaca que em seis dos oito meses de 2020 o número de mulheres contratadas foi superior ao de homens.

Atualmente, elas representam 47% dos empregos. O setor varejista alimentar emprega mais de 548 mil em todo estado.

Em agosto, os supermercados em todo Brasil criaram 5630 vagas. O estado de São Paulo ficou em primeiro lugar, representando 39,3% dos empregos.

“Os números são bons para o setor que durante a pandemia precisou criar os próprios protocolos de segurança e contratar colaboradores fora do grupo de risco para prestar um serviço essencial para a população. Os supermercados devem contratar ainda mais de agora para o fim do ano, é um movimento natural do setor”, explica o presidente da APAS, Ronaldo dos Santos.


Artigos Relacionados