Institutos de pesquisa de SP terão apoio da Fapesp para modernização

Valor repassado às entidades paulistas chegará a R$ 120 milhões, com recursos para capacitação de pessoal

Postado em: em Ciência

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) finalizou o processo de seleção da chamada “Desenvolvimento Institucional de Pesquisa dos Institutos Estaduais de Pesquisa no Estado de São Paulo”. Serão contratadas 12 propostas, apresentadas por 12 institutos de pesquisa, aos quais serão disponibilizados R$ 120 milhões, conforme previsto no edital.

Além de recursos de capital e custeio (material permanente e de consumo, serviços de terceiros, entre outros), o valor inclui apoio da Fapesp por meio de bolsas de Estágio de Pesquisa no Exterior (BEPE) e de Pesquisa no Exterior (BPE), Auxílio à Pesquisa – Pesquisador Visitante, além de recursos dos programas Equipamento Multiusuário (EMU), Políticas Públicas, Pesquisa em Parceria para Inovação Tecnológica (PITE) e Jovens Pesquisadores em Centros Emergentes.

Desenvolvimento

O Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), por exemplo, teve aprovado o plano de desenvolvimento institucional na área de transformação digital: manufatura avançada e cidades inteligentes. “O IPT pretende usar essa oportunidade de ter um projeto com recursos Fapesp para reforçar competências associadas à transformação digital que a sociedade atravessa, no século XXI, em tantas direções”, explica o diretor-presidente do IPT, Fernando Landgraf. “Como a missão do IPT é aumentar a competitividade das empresas e promover a qualidade de vida da nossa sociedade, faz todo o sentido aplicar a transformação digital ao desafio de conduzir duas linhas de pesquisa focadas na sustentabilidade das cidades inteligentes, a gestão ambiental e os sistemas inerciais autônomos, e aplicá-la também à manufatura avançada, com linhas de pesquisa em manufatura aditiva, metrologia avançada e processos bio-físico-químicos”, diz Landgraf.

Inovação

Entre os projetos selecionados está o do Instituto Agronômico (IAC), “Do básico ao aplicado: modernização da infraestrutura institucional para o fomento, da pesquisa e da inovação do agronegócio”.

O diretor-geral do IAC, Sérgio Augusto Morais Carbonell, avaliou o apoio bem-vindo: “O apoio da Fapesp vem em boa hora. Há 131 anos, o IAC tem a missão de transferir ciência e tecnologia inovadoras para a produção agrícola. Para tanto, as pesquisas básicas e aplicadas são fundamentais. Precisamos de investimento em infraestrutura de pesquisa para multiplicá-la e transferir tecnologia para a produção, observando padrões de sustentabilidade e qualidade, além de formar recursos humanos”, disse.

O coordenador da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), Orlando Melo de Castro, reforça a importância do apoio às instituições paulistas. “Esperamos que a nova modalidade de recurso da Fapesp obtenha êxito e se transforme em uma ferramenta para auxiliar institutos de pesquisa de todo o Estado”, comemora.

Dezenove instituições responderam ao edital lançado em 25 de maio de 2017. As propostas submetidas foram analisadas segundo procedimentos e sistemática adotados pela Fapesp na avaliação de projetos.

Mas, por constituir o primeiro edital institucional da Fundação voltado à modernização de instituições de pesquisa, as propostas foram também submetidas a um Comitê Especial, formado por pesquisadores de São Paulo e de outros Estados que já ocuparam função de direção em institutos de pesquisa.


Artigos Relacionados