Ex-prefeito de Passos, Ataíde Vilela, já é tido como foragido da Justiça

Ex-prefeito passense é suspeito de fraudes em contratos de coleta de lixo, segundo MP

Postado em: em Justiça

O ​ex-prefeito de Passos (MG), Ataíde Vilela, já é considerado foragido da Justiça, segundo o Ministério Público. Um novo mandado de prisão preventiva contra o ex-prefeito foi expedido pela Justiça na segunda-feira (23). Nesta terça-feira (24), a Polícia Civil esteve duas vezes na casa de Ataíde, mas ele não foi encontrado.

Ainda conforme o MP, novos crimes foram descobertos durante a segunda fase da "Operação Purgamentum", que envolvia fraudes e favorecimento à empresa Seleta, que fazia a coleta de lixo na cidade.

"Foi instaurado um novo procedimento investigatório para o aprofundamento das diligências visando apurar o já noticiado crime de corrupção passiva, envolvendo o ex-prefeito e também para apurar crimes de lavagem de dinheiro", disse o promotor Paulo Frank.

Policiais estiveram na casa de Ataíde Vilela, mas ele não foi encontrado

Desta vez, Ataíde foi acusado por três crimes de corrupção passiva, que envolve mais de R$ 300 mil e também oito crimes de lavagem de dinheiro.

"No caso o representado, Ataíde, continua e mantém em oculto o dinheiro das propinas recebidas e outras vantagens auferidas em razão e antes mesmo de assumir a função de prefeito na cidade de Passos", disse a promotora Gláucia Maldonado de Jesus.

Nesta 2ª fase da operação, as duas filhas e os dois sobrinhos de Ataíde foram investigados. Eles teriam emprestado o nome para a realização de transações bancárias. Todos já foram ouvidos pela Promotoria e ainda podem ser processados.

Ex-prefeito é suspeito de fraudes em contratos de coleta de lixo

Ainda conforme o Ministério Público, mesmo depois de deixar o cargo em 2017, o ex-prefeito continuou com negociações ilícitas.

"Compra, edificação e venda de imóveis em nome de familiares dele. Mas a gente ainda investiga a continuidade do crime de lavagem através de uma engenharia não identificada ainda. O fato é que o dinheiro que ele conseguiu manter com as condutas de lavagem de dinheiro, nós não encontramos, o que significa dizer que esse dinheiro está ocultado em outro mecanismo de lavagem de dinheiro que a gente ainda não conseguiu apurar", disse Paulo Frank. 

A Purgamentum

O ex-prefeito de Passos (MG), Ataíde Vilela, foi preso na primeira fase da Operação Purgamentum por denúncias de fraudes em contratos de prefeituras com empresas de serviço de limpeza e coleta de lixo.

Ataíde Vilela é considerado foragido da Justiça em Passos

A ação comandada pelo Ministério Público de Passos e de Ribeirão Preto (SP) investigava fraudes em contratos com empresas de coleta de lixo e limpeza urbana. A operação prendeu oito pessoas em Passos e mais envolvidos em seis cidades do interior de São Paulo, entre elas, a ex-secretária de Obras, Habitação e Serviços Urbanos de Passos, Sônia Maria de Oliveira.

Além das licitações, parte dos crimes aconteciam de três maneiras: primeiro no favorecimento da licitação da coleta de lixo. Depois, na adulteração da balança, sempre constando pesos a mais. Por último, na pesagem de caminhões com a mesma carga. A balança ficava a cerca de 10 Km do aterro. O mesmo caminhão pesava com a mesma carga duas ou três vezes ao dia. A prefeitura pagava a empresa por toneladas de lixo recolhido.

Ataíde Vilela foi solto no dia 15 de novembro de 2017, seis dias depois de sua prisão na primeira fase da operação, através de um habeas corpus deferido pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG). Ele voltou a ser preso no dia 26 de novembro e foi solto novamente no dia 8 de dezembro após ter pedido de habeas corpus atendido.


Artigos Relacionados