Enem deste ano pode ser adiado por conta da crise provocada pelo coronavírus

Propostas falam em pelo menos 15 dias, mas tempo pode crescer de acordo com a suspensão das aulas

Postado em: em Educação

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) avalia adiar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) devido à crise causada pelo novo coronavírus.

As propostas estudadas falam em pelo menos 15 dias de adiamento da data, mas o prazo deve variar de acordo com a duração de medidas de isolamento que impuseram a suspensão de aulas em todo país. 

Inicialmente, o exame seria aplicado digitalmente nos dias 11 e 18 de outubro, e no modelo tradicional nos dias 1° e 8° de novembro.

Em discussões internas há quem defenda o adiamento de pelo menos 20 dias. 

A análise é de que como o exame tem a intenção de avaliar o ensino médio não faria sentido aplicá-lo na data prevista uma vez que o cronograma das escolas estaria atrasado e o conteúdo completo não teria sido ministrado aos alunos.

Embora as discussões no Inep  caminhem para o adiamento da prova, a decisão final será do ministro da Educação, Abraham Weintraub.

O edital deve ser finalizado até o final deste mês. A equipe responsável pela prova está trabalhando para que licitações e outros processos relativos à prova não sejam prejudicados pela quarentena, mas já admite que a paralisação de atividades em todo o Brasil terá sim impacto nos prazos do exame.

Não só a aplicação da prova seria adiada, mas os técnicos estudam mudança no cronograma de inscrições e solicitação de isenção.  

Potencializar o uso do Enem digital também não faria diferença já que as provas também seriam feitas com aglomeração de estudantes e ainda não há estrutura disponível para que todos os candidatos façam o Enem nesse formato.



Artigos Relacionados