Em Franca, maioria de pais e professores é contra volta às aulas presenciais

De acordo com o secretário de Educação, Eduardo Guerra, possível retorno pode ocorrer em 19/10

Postado em: em Educação

A Secretaria de Educação de Franca ouviu 13.323 pais de estudantes para avaliar o que as famílias pensam sobre o retorno às aulas presenciais na rede municipal durante a quarentena. 

Entre 7.783 responsáveis por alunos que cursam o ensino básico, 87,2% não querem o retorno. Já entre os pais de crianças que vão à creche, a negativa é de 74,5%.

A pesquisa também ouviu 1.308 professores e funcionários da Secretaria de Educação. Entre os servidores, 94,2% não querem o retorno às aulas presenciais.

O resultado obtido com a enquete deve ajudar a Administração a decidir se as atividades devem ou não retornar, mas este não é o único critério que será analisado, de acordo com o secretário da pasta, Eduardo Guerra.

"Considerando os 28 dias dispostos pelo Plano São Paulo e um recesso que já está programado para acontecer na rede, seria possível que este retorno ocorresse a partir de 19 de outubro. Contudo, ainda dependemos do aval do Comitê de Enfrentamento à Covid", diz Guerra.

Franca e as outras 21 cidades que integram a Diretoria Regional de Saúde (DRS 8) foram classificadas na fase amarela em 11 de setembro. 

O novo anúncio do governo do estado sobre a situação da região deve ocorrer em 9 de outubro.

O secretário afirma que a pasta trabalha há dois meses elaborando protocolos para o possível retorno, como a preparação de materiais pedagógicos com orientações aos alunos e professores e com a abertura de licitações para compra de Equipamentos de Produção Individual (EPIs).

"Esta pesquisa é parte do processo decisório que a secretaria vai tomar. Ele vai se efetivar conjuntamente com o Comitê de Enfrentamento à Covid, que já tem em mãos um protocolo estabelecido pela Secretaria de Educação à luz do Plano São Paulo", diz Guerra.

O secretário adiantou que o prefeito Gilson de Sousa (DEM) publicará um decreto nas próximas semanas para informar a população sobre a decisão da administração quanto a volta às aulas.


Artigos Relacionados