Consumidores buscam frete rápido e barato nas compras pela internet

Demora na entrega e alto preço do frete afastam consumidores das lojas online

Postado em: em Negócios

Comprar pela internet e receber, sem pagar frete, no mesmo dia, é um dos desejos de muitos consumidores, que na verdade acabam se deparando com a demora na entrega e o preço alto do frete.

Esses dois fatores afastam consumidores das lojas online. “O consumidor busca experiência de compra cada vez melhor. Dentro desse cenário, não pagar pelo valor do frete do pedido que ele realizou na loja é uma das características mais importantes”, explica o consultor André Dias.

Entretanto, a tendência é outra. Um levantamento mostrou que o prazo médio de entrega no Brasil passou de oito dias, em 2017, para 13 dias, em 2019. O valor do frete médio subiu de R$ 14,90 para R$ 19,50.

Grande parte deste problema está na logística do setor. “A forma com que essas lojas trabalham a logística é o que vai diferenciar a fidelização de um cliente final”, completa Dias.

Uma loja de produtos pets fez da entrega o seu diferencial. Ela promete ao cliente o recebimento do produto em até uma hora e não cobra pelo frete. Com sete anos no mercado, ela foi além: oferece horários alternativos para o consumidor que precisa comprar produtos para o animal.

O empresário Rodrigo Monteiro e os sócios usam inteligência de mercado para transformar a ideia do frete grátis em realidade. 

Eles cruzam dados de número de moradores por região com o padrão de compra dos clientes para entregar mais rápido e ter menor custo operacional. “Tem bairro que a gente vai vender saco de ração de 15 kg, mais do que de 7 kg. Tem outros bairros em que a gente vai vender rações de um quilo, três quilos. Essa análise é diária e a gente vai calibrando o mix de cada produto de acordo com a demanda”, fala Rodrigo.

A empresa oferece 1.700 produtos e fatura R$ 500 mil por mês. Hoje, tem cinco centros de distribuição que cobrem 74 bairros das capitais do Rio de Janeiro e de São Paulo.

Os entregadores são terceirizados, mas trabalham só para a startup. Rodrigo explica que eles são como representantes da marca. Entram na casa e brincam com o cachorro do cliente. “A ideia é a gente ser um varejista nesse segmento, mas digital, que funcione 24 horas por dia, sete dias por semana e, principalmente, sem custo de frete para o cliente”.

A hora da entrega

Nem todo e-commerce tem estrutura para cuidar do envio do que é vendido. Com investimento de R$ 450 mil, Fernando Sartori criou uma startup de logística que atende lojas virtuais de todos os tamanhos, com foco nas pequenas. “São os que têm mais difícil acesso a uma logística de qualidade e aqui a gente quer resolver o grande problema da logística”.

Tiago Kuin, dono de um e-commerce, procurou a empresa do Fernando para resolver o problema da entrega de mercadorias. Ele usa o serviço desde 2017 e precisa de rapidez. “Nossos clientes são profissionais e precisam dos produtos de uma forma ágil, eles usam para o trabalho”.

Para agilizar a entrega, a startup de logística trabalha de maneira descentralizada. Ela tem parceria com cinco galpões espalhados pela Grande São Paulo.

As mercadorias do Tiago e de outras dezenas de lojas que contratam a empresa são estocadas em armazéns. A separação das encomendas é feita de acordo com o endereço de entrega – são 3.500 entregas por dia.



Artigos Relacionados