Corrida e Espumante

Postado em:

O que corrida tem a ver com espumante? Bem, até algum tempo atrás eu achava que nada.

Mas corrida, noite e espumante hoje em dia tem tudo a ver... não entendeu? Vou explicar como.

A combinação destas 3 coisas foram usadas em um evento realizado em Bento Gonçalves.

E se você está pensando que não tem nada para dar certo... engano seu... já deu.

Dia 11/11 foi realizada a 4ª “Sparkling night run” . Isto mesmo, corrida a noite com a chegada com direito a degustação de espumantes.

Só alegria... este é o resultado quando juntam se pessoas apaixonadas por corrida e espumantes.

A corrida acontece na cidade de Bento Gonçalves, sendo 5km ou 10km.

E aí animou para o próximo ano?

Mais informações acesse o site: http://www.sparklingnightrun.com.br/

Agora se 5 ou 10km já são passado na sua vida... e quer mais emoção... 

Foi realizada no Vale dos Vinhedos em Maio de 2017 a Wine Run (http://www.winerun.com.br/vinhedos/) com 21km . E para quem conhece o Vale, sabe que esta deve ser uma das mais bonitas em visual, mas as “ladeiras” sempre vão te lembrar que está ali para correr e se superar e não só para apreciar as lindas paisagens.

Também estão promovendo este evento no Vale do São Francisco, com o percurso de 10 milhas, em torno de 16km.

Bem, mais uma grande ideia unindo esporte e o “Mundo do Vinho”.

E aí... topa treinar para o próximo ano? 

PISCO também é produzido com uva

Postado em:

Hoje não vamos falar de vinho, mas sim de outra bebida produzida a partir da uva....O Pisco

O nome Pisco é de origem “Quechua”, um idioma pré colonização da America do Sul, usado até hoje em alguns países nos arredores dos Andes, significa “ave”.

Mas para nós, hoje o Pisco é um destilado de uva produzido no Peru e no Chile.

 E curiosamente estes países discordam em relação ao Pisco. Para o Chile, Pisco é um nome genérico da bebida, já no Peru, Pisco é uma “Denominação de Origem” entendendo que só pode ser produzida no Peru. 

As uvas usadas nas produção de cada país também são diferentes, sendo que no Chile as principais são a Moscatel, a Toprontel e a Pedro Jimenez e no Peru nos Piscos puros são usadas as Mollar, Negra Corriente e Quebranta, e nos aromáticos usam a Moscatel e uva Itália.

Bem não vamos entrar em tal discussão ... a ideia aqui é mostrar novos sabores e não discutir.

Tive a felicidade de conhecer Pisco em uma breve viagem ao Peru. Claro que já tinha experimentado a bebida antes, mas nada como conhecer mais e no lugar de origem. E como a viagem foi com pessoas queridas... a degustação foi muito melhor e com muitas e boas risadas.

O Pisco me lembrou a Grappa, é uma bebida forte com alto teor alcoólico, mas com um sabor específico e muito gostoso. No dia que degustamos , veio com as sobremesas e posso afirmar... estava ótimo.

Mas para quem não gosta de bebidas fortes, existem variações de coquetéis com o Pisco que são ótimos. 

É o caso do Pisco Sour ou dos Chilcanos, degustamos o Pisco Sour e o Chilcanazo, que é feito com gengibre e manjericão, refrescantes e muito saborosos... com as companhias certas, que foi o meu caso, têm gosto de festa. 

Lembrando sempre que o Ceviche acompanha muito bem estas bebidas. 

Sempre que tiver oportunidade, bebidas como estas valem a pena degustar e se estiver com boas companhias, tenha certeza que vai render muitas histórias e boas lembranças.