CLUBE DA ESQUINA

Postado em:

Se Clube da Esquina fosse apenas a resposta brasileira a Sgt. Pepper’s..., já se destacaria como uma importante contribuição ao pop internacional. Mas esta magnífica coleção de canções, lançada originalmente como um álbum duplo, também transformou Milton Nascimento, Lô Borges, Beto Guedes e Toninho Horta em artistas de sucesso pelo seu próprio talento.

Embora Milton Nascimento – um cantor carismático com um falsete puro e cheio de espiritualidade – seja o centro de gravidade do álbum, ele ainda não era uma grande estrela, e Clube da Esquina é muito mais um trabalho de grupo, co-creditado também a Lô Borges. O disco mistura sons oníricos, letras surrealistas e uma ampla variedade de influências sul-americanas. É um marco da música popular que abriu as portas da criação para outros artistas.

O Clube da Esquina era um grupo de amigos de Belo Horizonte, Minas Gerais, que passou seis meses, durante o ano de 1971, numa casa alugada na Praia de Piratininga, em Niterói, compondo e compartilhando seu amor pelos Beatles. De volta ao estúdio, a música ganhou uma grandiosidade suntuosa com a orquestração de Eumir Deodato e Wagner Tiso. O álbum contém uma série de clássicos, como “Cravo e Canela” e “Nada Será Como Antes”.

A influência dos Beatles é particularmente forte no “rock mineiro” de Lô Borges, em faixas como “O Trem Azul” e “Nuvem Cigana”, músicas delicadas, cheias de encanto e sutilezas.

“CLUBE DA ESQUINA” foi gravado e lançado em 1972.

Fontes e referências : 1001 DISCOS Para Ouvir Antes De Morrer- Roberto Dimery.

Fotos: Liga Entretenimento/Divulgação)

MARCOS PRADO CONVIDA

Quem não apareceu no Candeeiro Pizza Bar, principalmente na última sexta-feira, não sabe o que perdeu. Depois do Grupo Jazzmin na quinta-feira, foi a vez das “Anabelas” esbanjarem simpatia e talento, mostrando repertório de finíssimo gosto em apresentação impecável. Marcos Prado e Leninha não escondiam o tamanho da satisfação e do orgulho com o resultado do trabalho e dedicação de suas meninas.

E nesta quinta, dia 28, Marcos convida a talentosa cantora Ialy Alcântara pra dividir com ele o palco do Candeeiro. Se eu fosse você, não perderia de jeito nenhum !

*Esta coluna é semanal e atualizada às segundas-feiras