Atchim!

Postado em:

​Nesse último mês, experimentei pela terceira vez na vida o sabor ingrato da ‘ites’ que o inverno e sua secura trazem. Já não sei se era sinusite, rinite, tudo junto e misturado e nem se eu possuía nariz mais! Nasci numa família alérgica, tenho amigos alérgicos, e graças a Deus nunca precisei me preocupar com tais assuntos, mas passados alguns anos sem saber como era isso, esse novo mundo dos espirros resolveu se abrir para mim. Ainda bem que a alergia por fragrâncias, não me encontrou ainda, ou teríamos uma séria desavença, mas ela está presente na vida de muitas pessoas, o que ocasiona uma dificuldade de conviver em ambientes fechados com as outras, por conta das crises ocasionadas por perfumes e outras coisas que causam alergias.

É engraçado que a origem do perfume atual remonte aos egípcios e que era um meio para os nobres se distinguirem dos camponeses. Em outras palavras, o perfume que as pessoas espalham de forma tão imprudente (imprudente no sentido de que alguns preferem praticamente se banhar nele), na verdade se origina do desejo das elites egípcias de enfatizar seu status social. Além disso, eles também costumavam usar belos odores durante os rituais religiosos. Os persas, por outro lado, usavam perfume como sinal de seu poder político. No entanto, tudo isso mudou com os antigos gregos e seus antecessores, os romanos.

Foram os antigos gregos que usaram perfume regularmente em suas vidas diárias. Esta tradição depois se espalhou para os romanos e até mesmo para as terras da Anatólia e dos muçulmanos. Arqueólogos na província de Şanliurfa, no sudeste da Turquia, descobriram uma loja de perfumes antiga de mil anos com vários frascos de perfume, lançando nova luz sobre a história dos perfumes, em que o uso desse produto pode estar relacionando com a tradição de riqueza e uso de fragrância.

O uso do perfume prosperou em terras islâmicas e a admiração por bons perfumes transferidos dos muçulmanos para os europeus no século XII. Os franceses foram os primeiros a descobrir o potencial de belos aromas e começaram a produzir e comercializá-lo internacionalmente. No entanto, levou seis séculos para o perfume realmente se estabelecer comercialmente na Europa. A mistura refrescante de alecrim, bergamota e limão foi usada de várias maneiras: diluída em água de banho, misturada com vinho, comido em um pedaço de açúcar, como enxaguante bucal, em enemas, um ingrediente para um cataplasma ou injetado diretamente, entre outros. Os frascos de perfume do século XVIII variavam tanto quanto as fragrâncias e seus usos. De fato, durante um período em que o banho não era uma prática regular, esses belos odores provavelmente ajudavam muitas pessoas.

Graças a Deus os chuveiros tornaram-se mais comuns ao longo do tempo, mas o gênio perfume estava fora da garrafa e o uso de perfume cresceu exponencialmente. Embora a cidade francesa de Grasse já tenha sido o centro de fabricação de perfumes e comércio, Paris e suas casas de perfumes, como Houbigant e Guerlain, assumiram o mercado.

A crescente demanda por perfumes intrigou marcas de cosméticos, e uma por uma cada uma introduziu suas próprias fragrâncias. Entre eles, o icônico "No.5", da estilista francesa Coco Chanel, fez história. No entanto, hoje existem mais de 30.000 perfumes de grife no mercado, e o perfume não é mais apenas para os ricos. A indústria de perfumes sofreu várias mudanças na técnica, material e estilo. A indústria que incorpora criatividade,mística e romance, tudo combinado com marketing inteligente, para atrair as massas.

A mania de perfume do século 21 é bem diferente de suas origens. Uma vez considerado um sinal de status, hoje o perfume é uma parte da indústria cosmética e uma forma de as pessoas parecerem bonitas. O mercado global de fragrâncias foi de US $ 37,4 bilhões em 2012 e chegou a quase US $ 40 bilhões em 2016. As estimativas mostram que o mercado será de US $ 43,6 bilhões até 2021, o que significa que os espirros dos alérgicos não desaparecerão.

Especialistas dizem que todos devem possuir um perfume de assinatura, mas não necessariamente precisam entrar na sala antes de você. Enquanto recolhia informações e escrevia essa crônica, me deparei com um artigo citando Stephen Nilsen, perfumista sênior da Givaudan: "Hoje em dia as fragrâncias são muito diferentes daquelas de volta nos anos 80 que poderiam parar o trânsito! Quando usadas corretamente, você não precisará se preocupar se ofenderá seu colega de trabalho, porque nos certificamos de que eles tenham a quantidade certa de difusão para receber apenas elogios sem as reclamações. " Então, qual é a quantidade certa para se passar de perfume? Especialistas em fragrâncias aconselham cinco sprays de perfume todos os dias. Em vez de tomar banho, seu perfume vai durar mais tempo com menos sprays, se você pulverizar o perfume em torno de suas áreas de pulso, como o pescoço e pulsos.

Sejamos honestos, todo mundo quer cheirar como rosas, mas borrifar a garrafa inteira de uma só vez não vai te dar uma agradável essência de rosa que você estava querendo. Apenas mantenha os sprays no mínimo e tente entender melhor as pessoas ao seu redor.​